segunda-feira, 24 de março de 2014

Palmas para o Esquilo


David Soares, Pedro Serpa (2013). Palmas para o Esquilo. Lisboa: Kingpin Books.

A simplicidade luminosa do traço de Perdo Serpa contrasta com o peso das palavras de David Soares. Palmas para o Esquilo mergulha-nos numa reflexão profunda sobre as fronteiras difusas que separam o sonho da alucinação e a criatividade da loucura. Da base narrativa, que nos leva a visitar duas personagens residentes num manicómio simbolicamente pintado de amarelo, constrói-se uma reflexão a partir da análise de pulsões e alucinações. Sublinha uma concepção romântica de inquietude do espírito criativo, mostrando que as fronteiras entre sonhos insanos, delírios imaginários e a busca incessante por novas ideias não são estanques e, em casos limite, podem ser uma mera questão de pontos de vista. Tudo isto embrulhado de forma simpática num tom de aparente inocência trazido pela simplicidade do esquema de cores e do traço do ilustrador.